Menu

02/ 03/ 2018

Prefeito participa de lançamento do Programa de Distribuição da Palma Forrageira

Clique para ampliar

Na manhã desta sexta-feira (02), o Prefeito Oton Mário e o Secretário de Agricultura, Ismael Romão, estiveram no município de Santa Cruz/RN (Sítio Jurema) juntamente com vários prefeitos da região Trairi, acompanhando de perto o lançamento da distribuição da palma forrageira para os médios agricultores do polo Trairi.

O programa de distribuição de mudas de raquetes de palmas forrageiras ao pequeno produtor rural do Rio Grande do Norte é ação do Governo do RN, para amenizar os efeitos da seca no estado. Este ano a iniciativa ganha maior proporção viabilizada por meio do acordo de empréstimo com o Banco Mundial, que disponibilizou R$ 724.000,00 para aquisição das palmas que serão distribuídas.

A distribuição das mudas de palmas para multiplicação nas propriedades de agricultores tem sido muito bem aceita e solicitada pelos municípios.

Ao todo serão distribuídas 2,7 milhões de raquetes de palmas forrageiras, dos tipos Orelha de Elefante Mexicana e Miúda, espécies mais resistentes a praga cochonilha do carmim (Dactylopius opuntiae). Inicialmente será feita a entrega de 1,4 milhão de mudas, que beneficiarão cerca de 1.700 produtores rurais do Rio Grande do Norte.

O município de Jaçanã estará beneficiando 20 médios agricultores que são cadastrados no Programa Compra Direta da Agricultura Familiar, onde cada agricultor receberá 800 raquetes de palma forrageira (Opuntia ficus-indica) da variedade orelha de elefante, resistente a cochonilha do carmim. Em uma parceria da Prefeitura Municipal de Jaçanã com a EMATER.

Saiba mais

A palma forrageira (Opuntia ficus-indica) e uma espécie exótica com potencialidades para o semiárido brasileiro, como fonte de alimentação para bovinos, caprinos e ovinos. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, atualmente, a palma forrageira faz parte da base alimentar dos rebanhos de zonas áridas e semiáridas. Características como alta palatabilidade, produção de biomassa e resistência à seca fazem dessa planta um alimento valioso para os rebanhos desta região. No semiárido brasileiro, é cultivada em larga escala e usada ao longo do ano, constituindo-se num componente fundamental para a sustentabilidade de importantes bacias leiteiras do Nordeste.

ASCOM | Fonte: Secretaria de Agricultura


 

Compartilhe: