Menu

Pontos Turísticos

Quem vem ao município de Jaçanã, a passeio ou como visitante, pode visitar pontos emblemáticos da cidade, além de desfrutar do seu clima agradável, da sua gente acolhedora e dos seus espaços públicos. Entre os pontos turísticos do município a serem apreciados, contemplados e visitados, estão:

Mirante do Rangel


 

O Mirante do Rangel é um platô situado no topo da Serra da Borborema, entre o Rio Grande do Norte e a Paraíba, mas especificamente no Sítio Rangel, a cerca de 8 km da sede do município. Do Mirante, é possível avistar as cidades de Santa Cruz, São Bento do Trairi e Cuité, além de um uma flora exuberante que se descortina em montanhas a perder de vista.

 

Pedra Redonda

 

A Pedra Redonda está localizada em uma área rural, no Sítio Rangel, um pouco mais abaixo do Mirante. O percurso também não possui sinalização turística nem de acesso e o ponto de referência usado para chegar até a Pedra é o pé da Ladeira do Rangel. A principal atividade que um visitante tem para fazer na Pedra Redonda é a contemplação da paisagem, pois a pedra é um mirante natural que possui uma trilha ao seu redor, na qual, em um ângulo, pode-se ter a perspectiva de que a pedra é de fato redonda. A flora e a fauna são típicas da caatinga, possuindo espécies endêmicas que também podem ser apreciadas. A formação rochosa possui pequenas crateras que formam piscinas naturais na época das chuvas.

Fronteira Rio Grande do Norte x Paraíba

 

Uma das curiosidades mais interessantes do município de Jaçanã é o fato de ele estar bem na divisa dos Estados do Rio Grande do Norte e da Paraíba, o que por si só já é um fato bastante inusitado. Por toda a sua extensão territorial, quer seja na zona urbana, quer seja na zona rural, o município está atravessado pela linha imaginária que divide os dois Estados brasileiros. 

 

Pássaro Jaçanã

 

O Pássaro Jaçanã é um monumento erguido na entrada da cidade no sentido Coronel Ezequiel – Jaçanã, no ano de 2014, a mando do prefeito Esdras Farias. A obra está localizada nas imediações do Cemitério Senhor do Bonfim e da Rádio FM Flores, dando as boas-vindas a quem chega à cidade. O monumento reproduz o brasão do município de Jaçanã, com a figura da ave que deu nome à cidade ao centro e dois pés de sisal laterais que representavam a economia do município na época de sua fundação. Em sua base, para o lado do asfalto, vê-se a reprodução de uma faixa verde e amarela pintada com o nome da cidade ao meio, em auto relevo e cores pretas.

 Praça João Fortunato

 

A Praça João Fortunato data do início de fundação da cidade e está localizada na sua região central, ao lado da Igreja Católica, em frente à Escola Estadual Manoel Fernandes. Ao longo se sua história, a Praça Municipal – apelidada por todos da cidade como o nome de “A Pracinha”, passou por inúmeras reformas e conta hoje com um  boa estrutura de lazer, com áreas verdes e bancos.

 

Clubes de Mães

 

O Clube de Mães Suzana Medeiros e o Clube de Mães Maria Augusta são associações de mulheres da cidade que se dedicam á produção do artesanato local, sobretudo voltando-se para a fabricação de objetos em sisal, madeira, pedra sabão, recicláveis e biscuit; além de peças em bordado, pintura, bico de renda, bordado, crochê e tricô. 

 

 

Memorial dos Fortunatos

 

O Memorial dos Fortunatos é considerado o primeiro e único museu do município. Seu prédio figura como uma das construções mais antigas da cidade e está localizado dentro de uma chácara, ainda que na zona urbana, entre a Igreja Católica e o Ginásio Poliesportivo. O museu tem como entidade mantedora a família Fortunato, portanto é de natureza privada. A ideia de transformar a antiga casa em museu se deu em julho de 2007, pelos filhos de Edmundo Dantas e Suzana Medeiros. O acervo consta de móveis e objetos antigos, além de fotografias que documentam a história da origem da cidade e da árvore genealógica da família Fortunato.

Terceiro Maior Cajueiro do RN

 

O Rio Grande do Norte é a terra dos cajueiros gigantes. O maior deles é realmente uma atração turística e fica localizado na Praia de Pirangi do Norte, com uma copa de 7.500 metros quadrados e uma produção de 80 mil frutos por ano.

O segundo maior cajueiro do Estado está no município de Grossos, com uma copa de 3.500 metros. Já o terceiro maior cajueiro do RN está localizado no município de Jaçanã, mais precisamente no sítio Boca da Mata, há cerca de 3 km do centro da cidade.

Lajedo do Damião

 

O Lajedo do Damião é uma formação rochosa que está localizada no Sítio Lajes do Damião, entre os Sítios Caiongo e Serra da Lagoa. O local é de difícil acesso e ainda pouco explorado como atração turística do município. Por sua natureza praticamente intocada, o espaço oferece uma bela paisagem natural, além de trilhas que podem ser feitas num dos poucos recantos do município que ainda guarda intacta a floresta típica da caatinga.

 

Além dos pontos turísticos acima elencados, o visitante ainda tem a opção de visitar outros atrativos da cidade, entre os quais podem ser sugeridos:


1. Parque de Vaquejada São Francisco. É um espaço privado, localizado às margens da BR 023, nas imediações do Sítio Chã da Bolandeira. Lá acontece a festa de vaquejada da cidade, sempre no mês de agosto, atraindo centenas de nativos e visitantes. O local conta com infraestrutura de estacionamento, currais, camarotes, calçadões e área para shows.

 

2. Busto de Dedé Pereira. É uma rótula que fica localizada bem no centro da cidade e também é conhecida como “A Rodinha do Prefeito”. Ali há um monumento com o busto do ex-prefeito José Pereira da Silva erguido em um púlpito de mármore onde também há mosaicos de cerâmica com a imagem da ave jaçanã e o nome da cidade, além de banquinhos.

 

3. Pórticos de Entrada e Saída da Cidade. As entradas e saídas oficiais da cidade se dão pelas BR’s de acesso aos municípios de Nova Floresta-PB e Coronel Ezequiel-RN. Nos dois sentidos, há dois pórticos que trazem letreiros saudando os visitantes na chegada à cidade e se despedindo na saída.

 

4. Calçadões Públicos. A cidade de Jaçanã é naturalmente plana e, para o turista que gosta de praticar atividades ao ar livre, como caminhada e corrida, não pode deixar de visitar os calçadões públicos. O primeiro fica à margem direita da BR que dá acesso ao município de Coronel Ezequiel e liga a sede do município ao Conjunto Flores 1. O segundo fica entre a Igreja Matriz e o Ginásio Poliesportivo Municipal. Em ambos, nas primeiras horas da manhã e nos fins de tarde, dezenas de pessoas podem ser vistas realizando atividades físicas ao ar livre.

 

5. Praça de Eventos. É o local onde acontecem as principais festas da cidade e fica localizada em frente à Igreja Matriz. O espaço abrange uma grande extensão da Rua João Fernandes e conta com estrutura de palco, camarins e banheiros. Quando não há festas, o espaço é utilizado pelos moradores para a prática de esportes ao ar livre e como área de lazer e recreação para crianças.

 

6. Fachada do Cemitério Municipal. É evidente que um cemitério não é um dos lugares mais indicados para um turista visitar, mas do ponto de vista artístico, o Cemitério Municipal de Jaçanã é um belo lugar para se apreciar, sem que seja preciso adentar em suas dependências É que a parte do muro frontal do local é toda revista de minúsculos pedaços de azulejos que, num todo, formam um belíssimo mosaico que reproduz a via sacra em catorze enormes painéis. Para quem tem sensibilidade à arte, é sem dúvidas um belo lugar para se visitar.

 

7. Esquina do Peido: Toda cidade do interior tem as suas calçadas com os seus assíduos frequentadores. Bater um papo como amigos ainda é uma das atividades que mais caracterizam a vida no dia a dia de uma cidade pequena, pois os espaços públicos ainda são do povo e com uso bastante compartilhado nas horas que não se tem o que fazer. A Esquina do Peido faz parte da história da cidade desde os anos 80, quando era considerada como o Bar de Nivaldo, onde é hoje o Bar de Zé Barbosa. O espaço sempre funcionou como uma espécie de rodoviária, já que sempre foi parada obrigatória para os transportes que saem com destino a Santa Cruz e Natal e ponto dos moto-taxistas da cidade. Certamente o local pode não ter nenhum valor turístico, mas tem grande valor histórico para os jaçanaenses. O nome se tornou popular quando, em anos passados, um grupo de peidões gozadores se empanturrava de fava, ovo cozido e batata-doce durante o dia e ia para aquela esquina à noite “competir” em duas modalidades: quem soltava o peido mais e alto e quem soltava o mais fedorento. O que era uma brincadeira entre conterrâneos, acabou batizando o lugar como “a Esquina do Peido”.

 

8. Chácaras e Piscinas Particulares. Para quem gosta da vida campestre e de um belo banho de piscina, uma das opções de turismo e lazer é alugar umas das estruturas montadas em chácaras da cidade. As mais procuradas e melhor estruturadas são a Chácara Aconchego e a Piscina de Adeú. Elas oferecem áreas de lazer com espaço verde, piscinas para crianças e para adultos, pátio para eventos, cozinha e dormitórios. É comum as pessoas alugarem esses locais para realizarem festas e confraternizações. O aluguel pode ser feito direto com os proprietários e durante qualquer época do ano.